Texto por Natália Winter e fotos por Rômulo Konzen

 

 

Ontem, 29 de setembro, no Pepsi on Stage em Porto Alegre assisti ao show do Thirty Seconds to Mars, banda do renomado ator Jared Leto. Apresentação esta que estava ansiosíssima para assistir, afinal de contas, não é todo dia que você fica frente a frente com um ator premiado, que já interpretou diversos papéis que você admira (vamos deixar o Coringa de fora disso) e que já trabalhou com tantos outros atores que você também é fã.

 

Não há como falar da banda sem citar Jared Leto, a alma do grupo, que com suas roupas excêntricas cantou ao vivo como se fosse em estúdio, arrepiando a cada segundo. O músico tem domínio completo do público, e como se não bastasse, ainda sobrava tempo para dirigir o cinegrafista que estava registrando a apresentação para um futuro vídeo oficial.

 

Seu irmão, o baterista Shannon Leto, deu o ar da graça nos vocais também. E caramba. Canta muito! Aliás, de onde eu estava só enxergava ele e Jared. Os demais músicos ficavam escondidos atrás da bateria durante todo o show.

 

Nunca vou esquecer do momento em que Jared entrou no palco. A galera gritando com muita força, num nível que poucos shows proporcionam. Estava emocionada, nunca imaginei que veria um cantor que tivesse um oscar esperando ele em casa depois da turnê. Dei uma leve choradinha, confesso.

 

O que vi ontem, foram fãs que fizeram de tudo pra estar lá. Alguns vieram de muito longe, estavam na fila desde cedo. Me fez lembrar de minha ida ao show do U2 e fiquei feliz por eles. Por estarem realizando um sonho e nem um pouco preocupados com os empecilhos que poderiam haver.

 

Meus destaques foram “The Kill” com a galera em polvorosa gritando o refrão, “Kings and Queens” (a música o qual conheci a banda e me apaixonei logo de cara), “This Is War” e “Walk on Water”.

 

O show foi pontual, começou às 21 horas como previsto e finalizado às 22:20 com direito a explosões de papel picado e fãs no palco dançando loucamente. Linda e arrepiante.


Finalizando com chave de ouro, Jared cantou lindamente a música “Closer To The Edge”, uma das minhas favoritas. Não houve bis, não houve volta. Mas com certeza foi um belo final! Há quem diga que precisava de um pouco mais, que ficou descontente com a quase uma hora e meia de show. Já eu achei completo, sem tirar e nem pôr. Definitivamente esse show ficará guardado eternamente na minha memória, não nos meus stories de 24 horas. Aliás, bora parar de gravar o show inteiro no celular? Fica a dica, aproveitem o que tá na frente de vocês, crianças, e esqueçam um pouco as telas de celular.