Texto por Maria Eduarda Michael e fotos por Rômulo Konzen.

 

 

Opa! Na última quinta-feira, 26 de julho, Porto Alegre recebeu novamente a tradicional banda brasileira de hardcore CPM 22. Eu tive a oportunidade de estar lá e ainda consegui conversar um pouco com os caras após o show!

 

O CPM 22 trouxe para um Bar Opinião lotado a turnê do disco “Suor e Sacrifício” lançado em 2017. O álbum, cujo single “Ser Mais Simples” estourou e foi bem recebido pelos fãs e ainda tem outras músicas muito boas como “Combustível” e “Destemido”. Destaco principalmente a emocionante faixa “Honrar teu nome”, feita em homenagem ao pai do vocalista.

 

Mesmo curtindo a banda desde o antigo disco “Chegou a Hora de Recomeçar” (2002), foi a primeira vez que assisti ao CPM 22 ao vivo. Fiquei muito impressionada com a energia dos caras, a interação com a plateia e principalmente com a diversidade do público. Desde jovens até pessoas bem mais velhas. O coro nos clássicos como “Irreversível”, “Regina Let’s Go”, “Não sei viver sem ter você” “Dias Atrás”, “Um Minuto para o fim do mundo”, era constante. Esta é a maior prova de que a energia da banda atravessa gerações. Além disso, o CPM 22 também fez uma versão muito interessante de “Flores” dos Titãs.

 

Atualmente a banda conta com Badauí (vocais), Fernando Sanches (baixo), Luciano Garcia (guitarra), Japinha (bateria), e Phil Fargnoli (guitarra). Todos estavam muito animados e entrosados não só entre eles mas com os fãs.

 

Aqui no estado a banda ainda vai tocar em Caxias do Sul, e depois segue com a turnê para outras cidades pelo Brasil.

 

Assista abaixo o meu bate-papo com o vocalista Badauí e com o baterista Japinha. Conversei com eles sobre algumas coisas da turnê, e também de uma loucura que acontece próxima à grade do show. Vem descobrir o que é:

 

 

Você já viu o CPM 22 ao vivo? Me conta aqui nos comentários!