Say Hello 2 Heaven

Data: 17/05/2018

Por Patrícia Giovanetti.

No dia de 18 de maio de 2017 eu acordava com a notícia de que Chris Cornell havia morrido. Me lembro de ler a notícia pelo celular e ficar algumas horas sentada olhando pra tela sem entender o que estava acontecendo. Fiquei meio sem chão…

Algumas informações dizem que o suicídio foi gerado pelo uso de doses maiores que o recomendado de um medicamento que ele tomava. Mas eu não quero entrar nesse tipo de discussão. Mas, que merda Cornell! Que merda!

Quem me conhece sabe o quão fã do Pearl Jam eu sou e de todas as bandas que surgiram durante o movimento Grunge. Mas, na minha humilde opinião de merda, Cornell era sem dúvida a maior voz de todas. Tinha uma potência na voz que me rasgava. Passava uma energia indescritível de me fazer arrepiar a espinha e ter vontade de cantar bem alto junto com ele.

Conhecido pelos seus trabalhos com o Soundgarden e Audioslave, fez uma das coisas mais lindas da história da música ao lado de Eddie Vedder no Temple of the Dog. Sua carreira solo era incrível, pena não ter tido o real valor que merecia. Destaco aqui o acústico lançado em 2006 em que ele passeia um pouco por sua história musical, contando ainda com um lindo cover de Billie Jean do Michael Jackson.

Seu último álbum lançado em 2015, Higher and Truth, é um daqueles pra ouvir e chorar no cantinho. Com uma vibe mais “calma”, ali você consegue perceber o quão sensacional era esse cara. Quando ele canta, te abraça. Te faz não querer sair daquele momento. E eu não quero sair.

Hoje eu fui parar pra ouvir a sua voz enquanto escrevia esse texto. Não deu. A lágrima desceu. Pode parecer bobagem, mas é como se um amigo tivesse ido embora.

Fica o arrependimento por não ter visto um dos seus shows e o “Puta que pariu, porque você foi embora?!”. Mas a gente vai estar sempre aí pra lembrar de você enquanto o agora nos permitir.

“Say Hello to Heaven” e vá em paz…

Comente:

SIGA




PARCEIROS