10 Motivos para amar o Thriller

Data: 07/12/2017

Por Daniel Ribeiro.

Para celebrar os 35 anos do mais aclamado álbum do gênio eterno Michael Jackson, iremos dar 10 razões (como se fosse necessário) para você amar o disco premiado com trinta vezes Disco de Platina de MJ.

10. The Girl is Mine

A terceira faixa do álbum junta 2 dos maiores (senão OS maiores) artistas do mundo musical no século XX: Michael Jackson e Paul McCartney. A sensação que temos é que, nesse dueto, o Paul entrega pro MJ o bastão de artista mais popular do mundo, numa canção os dois soam doces e ao mesmo tempo energizados, inclusive com um duelo de cortesias e fofuras ao fim da canção.

9. A parte interna do disco,  estilo “pôster”

Aquele terno branco lembrava muito as tendências “disco” lançadas por John Travolta no final dos anos 70 em Embalos de Sábado à Noite. A escolha de roupas do MJ foi uma forma de anunciar que um novo “rei da dança” tinha chegado pra ficar. O que é mais interessante sobre essa foto, é que, sem alguma razão (que eu saiba) um bebê tigre aparece em cima do joelho do Rei do Pop.

8. A guitarrinha marota de Eddie Van Halen em “Beat it”

Quando MJ e Quincy Jones (produtor do álbum) decidiram que Beat It, o rock n’roll do álbum, precisava de um solo de guitarra, eles ligaram para Eddie Van Halen (que dispensa apresentações). O solo ajudou a música a chega ao topo das paradas de R&B, Rock e no #14 do Hot 100 da Billboard.

7. O monólogo do Mestre do Macabro, Vincent Price, em Thriller

Quando Rod Temperton escreveu Thriller para Jackson, ele queria incluir um monólogo assustador para dar um clima sombrio à música. Não havia dúvidas de que Vincent Price seria a pessoa ideal para esse papel, o que é ainda mais fantástico no videoclipe, quando Price recita seu monólogo, que diz: “The foulest stench is in the air / The funk of forty thousand years / And grizzly ghouls from every tomb / Are closing the seal to your doom” – e todos os zumbis começam, simultaneamente, a sair de seus caixões.

6. É o álbum mais vendido da história

O Thriller deve ter vendido umas 120 milhões de cópias pelo mundo. Só para colocar em termos mais Crazy Metal Mindianos, ele vendeu mais que o dobro do clássico Dark Side of The Moon do Pink Floyd e mais do que o triplo do Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles. É até leviano usar vendas como critério para definir a grandeza de um álbum, mas a sua popularidade nos diz um pouco do que ele representou para a música no século passado e continua representando hoje.

5. Wanna be Startin’ Something

A faixa de abertura do Thriller – e que abertura! – é uma das canções mais negligenciadas de MJ. Ela tem o groove perfeito e uma pegada difícil de sair da nossa cabeça após ouvi-la, ela chega, como tudo nesse disco, anunciando que existe um novo Rei no pedaço. Eu particularmente adoro a parte da letra onde ele fala “You’re stuck in the middle / And the pain is thunder / It’s too high to get over / Too low to get under.” Conhecendo o que vem a seguir nesse disco, percebemos como Jackson estava extremamente confiante nas suas habilidades.

4. A linha de baixo de Billie Jean

Billie Jean é uma das músicas mais conhecidas e mais divertidas de Jackson, e pessoalmente, é uma das minhas favoritas (inclusive a versão de Chris Cornell). Eu destaco aqui a linha de baixo, e não a música toda, porque ela foi glamourosamente copiada, sim, COPIADA, de uma música dos ótimos Daryl Hall e John Oates (vai ter texto sobre eles em breve), o super clássico “I Can’t go for That (No can Do). As mudanças feitas por MJ e seu ímpeto vocal levaram esse funk a outro nível. Talvez Billie Jean seja a melhor música do Thriller, uma das melhores da carreira de Jackson e foi #1 nas paradas de R&B e no Hot 100 da Billboard.

3. O Clipe de Billie Jean

Esse é tão legal quanto a música e por duas razões bem simples: primeiro porque o traje de do Michael exibe um número imensamente elevado de brilhos, da camisa até a icônica luva  -passando inclusive pelas meias), que suas calças de pescador não o deixam esconder. Esses brilhos fazem de Jackson o centro das atenções, como um sol brilhante, girando como uma única fonte de luz diante do cenário escuro do vídeo. Em segundo lugar, o piso que se acende à medida que MJ dança. Esse piso acendendo não é somente legal e divertido, mas mostra e destaca as habilidades extraordinárias desse gênio da dança.

2. O clipe de Thriller

Fui obrigado a destacar outro videoclipe desse disco porque o MJ praticamente inventou o clipe moderno como o conhecemos e, no processo, quase sozinho, tornou a MTV popular. Dirigido por John Landis (de Blues Brothers e Lobisomem Americano em Londres), o vídeo de Thriller é muitas coisas: uma homenagem aos filmes de terror dos anos 1950,tem uma coreografia totalmente inovadora e é uma extravagancia de efeitos especiais, com zumbis e o MJ como homem-tigre.

1. A apresentação de “Billie Jean” na festa de 25 anos da Motown

Em homenagem ao 25º aniversário da gravadora Motown (também faremos texto sobre ela em breve), MJ interpretou Billie Jean no palco. Bem ,como todos sabemos, ele não só cantou a música, mas também se firmou como a maior estrela pop dos anos 80 naquele momento. Usando um traje semelhante ao do clipe da música, ele surpreendeu o público presente no Pasadena Civic Auditorium e as milhões de pessoas que o assistiam na TV. Seu carisma e sua dança são surpreendentes até hoje, especialmente o moonwalk, que estreou naquele show. Essa performance do Michael Jackson é, literalmente, indescritível, você precisa assistir para entender a grandeza.

Comente:

SIGA




PARCEIROS