“Summer Solstice”: acústico do A-ha encanta corações nostálgicos

Data: 24/11/2017

Por Carlos Augusto Monteiro.

Em tempos de podcast e streaming, é raro um lançamento de álbum me “pegar” a ponto de ouvi-lo inteiro mais de uma vez, em curto espaço de tempo. Pois já tem mais de duas semanas que o "MTV Unplugged", da banda pop norueguesa A-ha, está no “repeat”  do meu Spotify. Fiquei sabendo deste belo lançamento pelo grupo do CMM no Whatsapp, no início de novembro. Sou muito grato por isso!

O nome em si já é belo: "Summer Solstice". O álbum é um daqueles lançamentos em que tudo está em sintonia. Um dos atrativos é o ineditismo da empreitada. Com mais de 30 anos de carreira, nunca fizeram o especial da MTV, apesar de vários convites da emissora. Outro ponto de destaque é o repertório da banda, tradicionalmente super adequado ao formato acústico. Junte a isso a bela e afinada voz de Morten Harket, que passeia melodiosamente como uma seda por todos os arranjos desplugados do disco.

Para coroar, se você assistir ao vídeo do show, notará o lindo tratamento visual, cenário caprichado e o ambiente “bucólico” da locação, um estúdio na ilha de Giske, na Noruega natal do grupo.

Em entrevista, o tecladista e principal porta-voz do A-ha, Magnes Furuholmen, disse que quase gravaram a apresentação no Brasil, onde a banda tem um público numeroso e fiel. O motivo teria sido a logística para execução do show, que seria complicada.

O set list inclui clássicos, boas canções dos álbuns mais recentes, duas novas e duas covers. Entre as novas, destaque para "This is our home", que abre o show e, embora não deixe exatamente claro, foi inspirada na peregrinação dos refugiados de países em guerra pela Europa, e a dificuldade de encontrarem um novo lar.

A segunda música já quebra os corações sensíveis, e nem é tão clássica, "Lifelines" (do álbum homônimo de 2002), e que emociona com sua introdução executada por cordas. Após esta, cada canção antiga que chega em nova roupagem traz um sorriso no rosto dos nostálgicos.

Entre os convidados, várias cantoras (desconhecidas, pelo menos para mim) que fazem belos duetos com a voz meio feminina de Morten. "The sun always shines on TV" com a cantora norueguesa Ingrid Helene Håvik ficou bem legal.

No meio delas, um homão da porra: Ian McCulloch, do Echo and the Bunnymen, super à vontade em "Scoundrel days" (embora sua potência vocal fique bem aquém de Morten). A banda retribui Ian com uma das duas covers do álbum: uma muito bem-vinda execução do clássico de sua banda "Killing moon". Magnem se derrama em elogios ao convidado, dizendo que é a mais bela composição já feita e que a banda mostrou um caminho a seguir para o A-ha, quando estavam começando.

A outra cover do disco, "Sox of the fox", traz uma curiosidade interessante: fazia parte do repertório da Brigdes, banda anterior de Magnem e  Pål Waaktaar-Savoy (guitarrista do A-ha).

Dos clássicos, vale destacar "I´ve been losing you" (com a cantora norte-americana Lissie), "Stay on these roads", "Manhattan skyline" e "Hunting high and low". Já a mais famosa do grupo, "Take on me", fecha o show em um arranjo mais lento, também belo.

Das canções mais recentes da carreira, o show traz ainda "Foot of the mountain" (2009) e "Summer moved on" (2000). Esta, no entanto, não funcionou muito bem com o apoio da cantora inglesa Alison Moyet, que tem um registro um pouco para o lado do erudito, principalmente nos vibratos.

Quando o A-ha surgiu, na década de 80, eu até curtia uma ou outra canção, mas meu lado truzão não deixava eu dar muita trela para os noruegueses. Com a idade, veio o reconhecimento de que são incríveis hitmakers. Hoje, suas músicas já me trazem belas lembranças. A combinação de synth pop com a melancolia norueguesa é perfeita, e oferece o melhor dos dois mundos em se tratando de pop de qualidade. É um feito que poucas conseguem, a exemplo do Roxette, outra das minhas favoritas do gênero.

Foi essa combinação perfeita do "Unplugged MTV", de qualidade musical, nostalgia e melancolia, que, junto com o apelo visual do show, me conquistou e embalou meus dias de novembro de 2017.

Comente:

SIGA




PARCEIROS