Ian Anderson traz Jethro Tull para Porto Alegre.

Data: 11/10/2017

Texto por Rômulo Konzen.

No dia 09/10, última segunda-feira tive a oportunidade de realizar mais um sonho que achava que nunca fosse conseguir: assistir a um show do Jethro Tull. E aí que já começa a confusão afinal, era um show do Ian Anderson ou do Jethro Tull?

Achei muito curioso o show ser vendido como Ian Anderson tocando clássicos do Jethro Tull, afinal de contas, o Ian é o vocalista, flautista, compositor e líder da banda, ou seja, uns 90% do Jethro se resume a ele. Porque não vir com o nome da banda invés de um show solo?

A conclusão que cheguei, depois de muito pesquisar, é que deve ter acontecido algum problema com a banda, seja de saúde ou desentendimento, que a impede de tocar. Então por alguma questão judicial Ian não está autorizado a utilizar o nome Jethro Tull estando então fazendo shows "solo" onde toca todos os clássicos do grupo. Enfim, vamos ao que importa.

A qualidade do som do Auditório Araújo Viana costuma ser impecável. Infelizmente esse foi o primeiro show que vou lá onde o som não está perfeito. Os graves, como o baixo ou o bumbo da bateria só eram ouvidos quando estes solavam, no resto das canções a guitarra, teclado e flauta predominavam. Tirando isso a experiência foi ótima, nada que chegasse a estragar a apresentação e, com o passar do tempo foi sendo ajustado.

Quanto à banda, todos os instrumentistas que o Ian arranjou pra substituir os músicos do Tull são incríveis, tocam muito bem e tem um carisma raro de se encontrar em músicos contratados. O destaque obviamente fica para Ian Anderson, que já se encontra com 70 anos mas costinua cantando e tocando flauta com maestria. Seu vocal nunca exigiu muita técnica, porém, ainda é espantoso notar que sua voz continua a mesma dos anos 70.

Infelizmente o Auditório não estava lotado, tendo pouco mais da metade das cadeiras preenchidas. Porém, o público que costuma ser morno em shows em teatros, estava bem animado aplaudindo em pé ao final de duas canções e acompanhando com palmas algumas músicas.

Um fator curioso é que pela primeira vez assisti a um espetáculo com intervalo. Após 1h Ian anunciou que faria uma pausa de 15 minutos para então seguir com o restante do show. Compreensível. Este que vos escreve não consegue correr um quarteirão sem desmaiar, calcule aos 70 anos de idade fazer um show de 2h cantando e tocando flauta freneticamente.

O setlist estava perfeito a meu ver. Não senti falta de nenhuma música, foi um apanhado das músicas mais famosas e empolgantes do grupo proporcionando uma experiência emocionante. Será um daqueles shows que lembrarei com carinho para toda a vida.

SETLIST:

1 – Living in the Past (Jethro Tull song)
2 – Nothing Is Easy (Jethro Tull song)
3 – Heavy Horses (Jethro Tull song)
4 – Thick as a Brick (Jethro Tull song)
5 – Banker Bets, Banker Wins
6 – Bourée in E minor (Johann Sebastian Bach cover)
7 – Farm on the Freeway (Jethro Tull song)
8 – Too Old to Rock 'n' Roll, Too Young to Die
9 – Songs From The Wood (Jethro Tull song)
INTERVALO
10 – Sweet Dream (Jethro Tull song)
11 – Pastime With Good Company (King Henry VII of England cover)
12 – Fruits of Frankenfield
13 – Dharma for One (Jethro Tull song)
14 – A New Day Yesterday (Jethro Tull song)
15 – Toccata and Fugue in D Minor (Johann Sebastian Bach cover)
16 – My God (Jethro Tull song)
17 – Aqualung (Jethro Tull song)
BIS
18 – Locomotive Breath (Jethro Tull song)

Comente:

SIGA




PARCEIROS