Minhas expectativas para o Rock in Rio

Data: 15/09/2017

Por Carlos Augusto Monteiro.

Um dia importante para todo mundo que curte música, começa hoje a sétima edição brasileira do Rock in Rio, o mítico festival cuja história se confunde com a vida de muita gente. E já começa causando, com o cancelamento às vésperas de sua realização do show da cantora Lady Gaga, que se apresentaria hoje como headliner no Palco Mundo.

Devido a problemas de saúde, Gaga foi substituída por mais um show do Maroon 5 (que também será headliner neste sábado), uma das atrações mais procuradas da atual edição. 

Mas este fim de semana inicial não interessa muito à galera do Crazy Metal Mind e eu apresento aqui minhas expectativas para os dois dias de shows que irei, 21 e 22 de setembro

Bon Jovi (headliner do Palco Mundo no dia 22/9)
 

Essa edição do Rock in Rio traz a minha banda favorita em sua versão “Jon cansado e seus amigos”. É o que tem pra hoje, eu até estou curtindo as músicas do novo álbum e, ainda bem, o set list do show do Chile de ontem já foi bem bom, com vários clássicos.

Jon Bon Jovi (agora mais do que nunca o chefe da banda) se esforça bastante para cantar bem, os tons obviamente mais baixos e agarrado no mic stand como se sua vida dependesse disso. A afinação pelo menos depende disso, então vale o esforço. Não dá mais para esperar aquela movimentação frenética de palco dos áureos tempos, mas é minha banda do coração.

Será o 15º do Bon Jovi na minha vida (mesmo número da patroa, que conheci graças à banda, embora alguns shows diferentes), então claro que é marcante. Na hora sei que vou curtir como sempre. Não quero nem falar da ausência de Richie Sambora porque esse assunto não cabe mais lamentação. Vida que segue. E "raise your hands" que vai ser bom. 

Aerosmith (headliner do Palco Mundo no dia 21/9)
 

Ahh, o Aerosmith, banda que tem um front man homão da porra (com toda sua androginia), o incrível vocalista (e que vocalista!) Steven Tyler, junto dos bad boys Joe Perry (guitarra solo), Brad Whitford (guitarra base), Tom Hamilton (baixita) e Joey Kramer (bateria), com seu hard rock setentista e noventista. Aerosmith dispensa apresentações, é rock n ´roll puro, mesmo com as baladas dos últimos anos, é muito rock, é rock pra caramba.

Só tive a oportunidade de assistir a um show deles no distante ano de 1994, no finado Hollywood Rock, e com o Poison abrindo!!!!!! Uma noite inesquecível que, espero, será revivida em alto estilo na próxima semana. O que nos leva à próxima atração, um acompanhamento farofístico perfeito, tocando logo antes dos caras de Boston.

Def Leppard (Palco Mundo no dia 21/09)
 


 

Conforme debatemos exaustivamente no episódio do podcast do Crazy Metal Mind, o Def Leppard é uma banda grande nos Estados Unidos e Inglaterra e que teve sua fama prejudicada aqui no Brasil pela ausência no primeiro Rock in Rio. Embora há quem diga que o verdadeiro motivo foram as dificuldades de gravação do álbum “Hysteria”, é fato que o acidente que fez o baterista Rick Allen perder o braço teve fator importante no cancelamento da vinda ao Brasil. 

Substituída pelo Whitesnake, a banda só voltou em 1997, para um show que foi um fracasso, levando, por exemplo, apenas 250 pessoas ao então Metropolitan no Rio de Janeiro.

Agora, é a chance do Def Leppard encontrar um público infinitamente maior, a bordo de muitos hits e com os integrantes calejados pelos altos, baixos,  tragédias e retornos de sua carreira. E, claro, vão fazer todo mundo cantar junto com “quando faz amorrrrrrrrr, se olha no espelhoooooo”, a famosa e inesquecível versão do Yahoo para “Love bites”.

Alice Cooper e Arthur Brown (Headliner do Palco Sunset dia 21/09)
 

Tia Alice, como eu adoro esse sujeito. O cara veio tocar no Brasil em 1974!!! Quem imaginaria que estaria voltando, depois de várias outras vindas, ao Rock in Rio, sendo que já tocou na edição anterior, em 2015, à frente dos Hollywood Vampires.

É uma lenda do rock, todas as histórias já foram contadas no episódio do Crazy Metal Mind, e dessa vez ele tem como convidado o também esquisitão Arthur Brown (e seu visual exótico e seus truques pirotécnicos). 

A bordo de um novo e bom álbum, “Paranormal”,  o primeiro mascarado de sucesso do rock  merece toda a reverência que o público sempre tem a lhe dar, cada vez que pisa em terras brasileiras. Vamos lá engrossar esse coro, ao som de clássicos como “School´s Out”, “No More Mr. Nice Guy” e a farofa-mor “Poison”, entre outras (assim esperamos!).

Guns n´Roses / The Who (quase co-headliners do Palco Mundo, dia 23/09) e Sepultura (headliner do Palco Sunset, dia 24/09) 
 

Infelizmente, com os dois dias de maratona e minha avançada idade, não será possível ir a outros shows. Sei que o Guns n´Roses, esse sim o verdadeiro Guns e em sua segunda vinda ao Brasil depois da volta, vai arrasar com sua competente apresentação. Já os assisti duas vezes em 1992 e duas vezes nas formaçãos bizarras do tio Axl (2001 e 2010), então dessa vez vou deixar passar.

Claro que The Who será histórico e imperdível, mas estes dois shows vou assistir tranquilo com lugar privativo, banheiro exclusivo  e cerveja gelada na casa de amigos.

Sepultura é coisa nossa e sempre um prazer assistir. Mas realmente aí já era mais uma ida, na noite em que Red Hot Chili Peppers são os headliners do Palco Mundo, então não vai ter como mesmo.

Espero que tenham gostado das minhas escolhas, se gostou comenta aí, se não gostou esculhamba aí e vamos em frente que Rock in Rio é do povo, Rock in Rio é democrático, Rock in Rio é ô-ô-ô!

Comente:

SIGA




PARCEIROS