Mr. Big em Porto Alegre.

Data: 23/08/2017

Texto por Daniel Iserhard e fotos por Rômulo Konzen.

Dia 22 de agosto foi um dia BACANA. Além de ser o meu 40º aniversário, foi também o dia que tive a oportunidade de assistir ao show de uma das bandas que eu conheço há mais tempo. Um pouco da EMPOLGAÇÃO que eu tinha logo que conheci eles no sensacional álbum Mr. Big Live, lá por 1992, se diluiu no tempo e no meio de outras bandas e sons que fui conhecendo pelo caminho.

O bacana desse tipo de show é isso: Poder presenciar uma banda incrivelmente FODA com músicos extremamente talentosos e que te faz lembrar o porque daquela empolgação adolescente. E eu não estava errado há 25 anos como eu estava em diversas outras coisas. 

Eric Martin, não se tornou um dos meus ídolos vocais à toa. O cara ainda tá cantando MUITO, como se tivesse brincando. Paul Gilbert é um monstro da guitarra e também pude lembrar porque foi meu guitarrista preferido por muito tempo. Billy Sheehan é o melhor baixista que eu já vi tocar. Todo mundo ali brinca, o tempo todo. Faz parecer tudo muito fácil. Matt Starr, o baterista da turnê fez o papel dele, bonito, e não deixou a PETECA CAIR.

O pequeno Opinião comportou pouco menos de 1500 pessoas, o que é lindo pra quem quer ver a banda de perto. O show teve quase 2 horas, começou pontualmente às 21h.

E 21 também foram as músicas do set list que contou com 5 músicas do meu álbum favorito, o Lean Into It, outras 3 do What If…, 4 do Bump Ahead, uma do Hey Man, 2 do recém lançado Defying Gravity, 3 do disco de estréia, Mr. Big e uma do Mr. Big Live, o disco que me fez conhecer essa banda sensacional. E a música não poderia deixar de ser a melhor versão de Baba O'Riley, do The Who, banda que também aguardamos todos ansiosos aqui no Brasil, agora em setembro.

Aquele PETARDO inicial foi nada mais nada menos que Daddy, Brother, Lover, Little Boy ou "a música da furadeira", em que tanto Sheehan quanto Gilbert usam uma furadeira no lugar da mão direita no baixo e guitarra, respectivamente.

A empolgação inicial deu aquela diminuida, vieram 2 música do novo álbum e, obviamente, ninguém ainda teve tempo de assimilar.

A quarta música reservou uma surpresa: O vocalista disse que estava faltando alguma coisa, a banda então chamou o baterista original da banda, o monstro Pat Torpey que largou as baquetas após as primeiras sequelas do Mal de Parkinson aparecerem. Torpey subiu ao palco e passou o resto do show fazendo percussão e vocais. Uma atitude realmente bacana da banda, com o cara que está com eles desde o início e não foi abandonado.

Ainda destaco aqui Alive and Kickin'; a MIMOSA Just Take My Heart; Green-Tinted Sixties Mind; Wild World, um cover do Cat Stevens, melhor que a original;  Rock & Roll Over; Addicted To That Rush; a power ballad To Be With You e encerrou com o já mencionado sensacional cover de The Who, Baba O'Riley.

Um baita show, com uma banda talentosa e carismática, recheado de músicas excelentes e um público que cantou do início ao fim. E nem poderia ser diferente.

Valeu Mr. Big, o "grande" não é por acaso.

SET LIST

1. Daddy, Brother, Lover, Little Boy (The Electric Drill Song ou a canção da furadeira elétrica)

2. American Beauty

3. Undertow

4. Alive and Kickin'

5. Temperamental

6. Just Take My Heart

7. Take Cover

8. Green-Tinted Sixties Mind

9. Everybody Needs a Little Trouble

10. Price You Gotta Pay

11. Paul Gilbert Solo

12. Take a Walk

13.Wild World (Cat Stevens cover)

14. Rock & Roll Over

15. Around the World

16. Billy Sheehan Solo

17. Addicted to That Rush

18. To Be With You

19. Colorado Bulldog

20. 1992

21. Baba O'Riley (The Who cover)

Comente:

SIGA




PARCEIROS