Queen sabe e faz ao vivo, bicho!

Data: 21/08/2017

 

Por Daniel Ribeiro.

O status de Freddie Mercury como maior vocalista de rock de todos os tempos é dificilmente questionado. Seu alcance vocal e energia frenética fizeram dele um personagem único e o frontman perfeito.

Para gerar discórdia e criar conflitos onde não existe, me atrevo a escolher 10 momentos memoráveis do Queen ao vivo, uma forma também de homenagear a banda que fez o melhor show da história do Rock in Rio, em 1985.

(Obs: a ordem é puramente aleatória, não é crescente ou decrescente)

  1. Keep yourself Alive – Munique, 1978

Keep Yourself Alive foi o hit que apresentou a banda ao mundo em 1973. Esse show foi 5 anos após o seu lançamento, quando o Queen estava caminhando para se tornar a maior banda do mundo, e o mais interessante é que o grupo ainda tocava com a mesma agressividade e dedicação de quem precisa provar o porquê de estar ali.

  1. Bohemian Rhapsody – Wembley, 1986

Quando Roger Taylor e Brian May começaram a tocar com o Paul Rodgers, em 2005, Bohemian Rhapsody era uma das músicas que o clássico vocalista não se atrevia a cantar, e nessa hora eles usavam vídeos de performances antigas do Freddie Mercury. Ao ver o vídeo acima, conseguimos compreender perfeitamente porque Rodgers tomou essa decisão: porque essa música, simplesmente, pertence somente ao Freddie, e sua performance em Wembley é a prova viva disso.

  1. Somebody to Love – Montreal, 1981

Quando foi lançado o Rock Montreal, dvd ao vivo do Queen em 2007, minha cabeça explodiu. Essa performance captura o Queen na sua essência e forma mais perfeita, e essa versão de 7 minutos de Somebody to Love é um dos maiores exemplos disso. É uma música extremamente complexa para se cantar, com todas as variações de tom possíveis e mesmo assim, pro Freddie, parecia somente uma brincadeira. Não tentem fazer isso em casa!

  1. Don’t Stop me Now – Hammersmith Odeon, 1979

Essa performance, 1 ano após o lançamento do disco Jazz (quem tiver curiosidade, leia sobre a festa de lançamento desse disco), faz justiça a uma música que representa tudo aquilo que era o Queen e o Freddie Mercury, com uma letra que combinava o entusiasmo pela vida e por todos os prazeres que ela pode proporcionar, e um ritmo maravilhoso, solo de guitarra fantástico e um vocal perfeito.

  1. Queen no Live Aid, 1985

Esse show deles no Live Aid é, sem dúvidas, lendário, por isso seria extremamente difícil escolher apenas uma música daquele dia mágico. Bom, obrigado YouTube, por não me fazer ter esse trabalho, e aí você pode assistir os 25 minutos de uma das melhores performances em estádio já vistas, incluindo o domínio do Freddie sobre o público e o entusiasmo fantástico da banda.

  1. We Will Rock You – Montreal 1981

Bandas de rock do mundo, é assim que se abre um show. O Queen faz sua entrada de gala no meio de trovões e zumbidos, quando o Brian May começa o clássico riff e Freddie começa a dominar a sua plateia de canadenses dizendo “Get up! Get up!”. Uma porrada na sua melhor versão possível.

  1. Stone Cold Crazy – Rainbow, 1974

Fiz um sacrifício enorme para não citar somente performances do Queen nos anos 70, pra mim, melhor época da banda. Mas seria impossível não mostra-los tocando ao vivo esse clássico do maravilhosíssimo Sheer Heart Attack, com uma energia frenética e extremo entrosamento musical. Pra mim, esse é o verdadeiro Art-Rock dos anos 70, de explodir cabeças, visual extravagante, anéis de diamantes e perfeição cirúrgica no desempenho musical.

  1. Oggre Battle – Hammersmith Odeon, 1975

Esse conto maravilhoso sobre a batalha entre 2 gigantes foi uma pequena amostra ao vivo da capacidade do Queen nos meados dos anos 70. Essa foi uma apresentação de Natal em 1975. A frase “and the soup is cold on the table” é entregue por um Freddie vestido num macacão branco e Brian May preparado para voar, ambos com uma convicção inquestionável e hilária sobre suas vestimentas. Aliás, o riff por volta dos 50 segundos do vídeo, condensa a carreira inteira do Metallica em cinco segundos.

  1. Let me Entertain You – Japão, 1979

Um outro clássico do álbum Jazz, tem o bom e velho Frederico prometendo se prostituir para ter a audiência do seu público, e segundo a letra, fazer tudo possível, inclusive cantar em japonês. Essa música se torna ainda mais realista quando você observa o figurino todo preto, de couro, bem adequado à letra, e o vocalista se dirigindo à plateia em seu idioma nativo.

  1. Love of My Life – Rock in Rio, 1985

Não tenho palavras pra definir essa música. Se não fosse Bohemian Rhapsody, talvez essa seria minha música favorita do Queen, não por motivos técnicos, mas sim emocionais, era a canção que meus pais cantavam pra eu dormir quando era bebê.

Sentimentalismos a parte, o Queen sempre se surpreendeu com a forma com que o público brasileiro respondia a essa belíssima canção, e essa performance no Rock in Rio, em 1985, dificilmente será superada por alguma música de alguma outra banda.

Comente:

SIGA




PARCEIROS