10 motivos para amar Ringo Starr

Data: 24/05/2017

Texto por Daniel Ribeiro.

Embora suas realizações pareçam sempre ser ofuscadas por aquelas de seus ex-companheiros de banda, os tais de John Lennon, Paul McCartney e George Harrison, não há dúvidas de que Ringo foi um marco para seu instrumento e para a música do Século XX.

Então, para provar esse ponto de vista, citarei abaixo algumas razões para lembrá-los apenas porque ele era realmente o Starr da banda (badum tsssss)… 

1 – Ele tornou “tocar bateria” uma coisa legal… Finalmente!

Ringo foi o cara que teve a ideia de colocar os bateristas no centro do palco, em altos “pedestais” para que eles pudessem ficar tão visíveis quanto os outros membros da banda. Antes do Ringo, os bateristas ficavam escondidos atrás dos outros instrumentistas e muitas vezes nem faziam parte do grupo. 

2 – Ele não foi apenas um “baterista tocador de bateria”:

Ele era um músico incrivelmente criativo. Basta ouvir as partes de bateria que ele escreveu para Come Together e Rain, por exemplo. Ele não era apenas um baterista limitado ao seu instrumento, pois tinha um talento sobrenatural para pensar peças musicais inovadoras e originais.

3 – Ele é canhoto!

Ringo é um baterista canhoto, tocando em um set de bateria para destro, o que ajudou bastante na criação de seu estilo distintivo, original. Se considerarmos somente a capacidade de utilizar com maestria as duas mãos, isso já o tornaria muito diferente de outros bateristas, além de complicar muito a vida de quem tem banda cover dos Beatles.

4 – Ele casou com uma Bond Girl (RIP Roger Moore):

Richard Starkey foi casado com Barbara Bach, uma Bond Girl. Esqueça tudo que você sabe sobre John e Yoko, Paul e Linda, George e a mulher que ele dividia com Eric Clapton… o Ringo era casado com uma Bond Girl!

5 – Ele foi o primeiro dos Beatles a conquistar a América:

Ele tinha muita energia, um charme diferente e muito carisma. Quando os Beatles chegaram aos EUA, foi Ringo o primeiro a se tornar mais popular com os fãs. Seu sorriso meio bobo e aquela cabeça balançando freneticamente, levando energia e alegria às músicas conquistou os fãs instantaneamente.

6 – Não bastava ser um Deus do Rock, ele também era estrela de cinema (e a voz do Thomas, aquele trenzinho):

Ele foi imediatamente escolhido como a estrela dos filmes dos Beatles. Em A Hard Day's Night e Help, Ringo assumiu o papel de ator principal e partes das histórias foram especificamente adaptadas a ele. Sua personalidade fantástica e seu encanto meio bobo realmente brilham na telona. Ele passou a atuar e dirigir filmes depois disso também, bem como narrar o desenho “Thomas e Seus amigos”!

7 – O Twitter dele é o melhor de todos:

Ele passa o dia postando selfies, fotos dos seus pés e assina todos seus tweets com “Peace and Love”, além de usar com maestria vários emojis. Quantos velhinhos de 77 anos tem essa malemolência nas mídias sociais?

8 – A energia que ele levava às faixas:

Sua energia se destacava em todas as gravações dos Beatles, bem como nos shows da banda. Às vezes Ringo é questionado por não ser um baterista muito 'técnico', mas esse trunfo não é o que dá à música sua beleza e poder de emocionar. Ele foi responsável por quase todas as faixas de bateria e colocava em sua performance muita dedicação. Ouça She Loves You … o poder da pegada e o punch do famoso “two hit” para preencher o refrão da música é mágica pura. Starr sabia exatamente como tocaria naquelas músicas e nos nossos corações.

9 – Tomorrow Never Knows e o solo de “The End”:

Sem comentários, pare de ler o texto agora e vá ouvir essas duas faixas.

 

 

10 – Ele nunca deixou de ser Hippie:

Ainda um hippie de coração, ele continua a promover a “paz e amor”! Ao lado da Fundação David Lynch, Ringo iniciou o Peace & Love Fund, um fundraiser que ajuda as pessoas lutando contra traumas e estresse, ensinando-lhes a técnica Meditação Transcendental. Esta é a famosa técnica de meditação que os Beatles teriam aprendido nos anos 60 com Maharishi Mahesh Yogi. A mesma fundação também o honrou com o prêmio "Lifetime Of Peace and Love", em 2014.

PS: Vi o Ringo tocar no Hollywood Bowl em 2008 e foi uma das experiências mais incríveis da minha vida.

Comente:

SIGA




PARCEIROS