Joe Satriani em Porto Alegre

Data: 15/12/2016

Texto por Marcel Pfütz e fotos por Rômulo Konzen.

No último domingo, 11/12/2016, tive o prazer de ver o show da turnê Surfing to Shockwave, do Joe Satriani. O nome é uma referência ao seu álbum de maior sucesso, Surfing With the Alien (1987) e seu último lançamento, Shockwave Supernova (2015). Mas mesmo contando com a maioria de músicas desses dois álbuns, o show traz também músicas de outros discos de sua carreira.

Sempre admirei o Satriani pela humildade que ele transparece em seus trabalhos. A banda é sempre valorizada e isso fica nítido ao vivo. O cara é um excelente guitarrista! Deu aula para Steve Vai e Kirk Hammett e durante o show fica no cantinho ao lado do baterista, deixando o resto da banda ter destaque também. Das poucas vezes em que ele assume uma postura mais “frontman”, logo dá um passo para trás, juntando-se ao baixista ou ao guitarrista/tecladista antes de voltar para o canto onde está o microfone que é usado poucas vezes. Isso ajuda a quebrar o estigma de “pô, duas horas do cara tocando guitarra”. Não existe isso. Todas as músicas são escritas para valorizar a guitarra, sim, mas o resto da banda é crucial. No final das contas, ali, a guitarra realmente faz o papel do vocalista.

Minha maior preocupação era se iniciaria com Shockwave Supernova (minha música favorita) e para minha alegria, aconteceu. Não tem como não se empolgar com essa música pois é perfeita para iniciar qualquer coisa, qualquer coisa mesmo.

Daí em diante, só melhora. Destaque para Crystal Planet, On Peregrine Wings, que é um baiãozão pesado, If I Could Fly (um abraço para o Chris Martin), Crazy Joey, um medley homenageando Deep Purple, AC/DC e Jimi Hendrix e para finalizar, última do bis, Surfing With the Alien, com direito a animação do Surfista Prateado no telão.

Se você não foi, por falta de interesse ou oportunidade, na próximo vez dê uma chance ao careca e veja que um vocalista nem sempre se faz necessário.

Comente:

SIGA




PARCEIROS