Aerosmith se despede de Porto Alegre com show memorável.

Data: 13/10/2016

Texto por Rômulo Konzen. Fotos por Edu Deferrari.

Na última terça-feira, dia 11/10, Porto Alegre presenciou o que possivelmente tenha sido a última apresentação do Aerosmith em terras gaúchas. A banda anunciou recentemente que a turnê, "Rock n' Roll Rumble – Aerosmith Style" que está passando pelo Brasil neste mês, tem grandes chances de ser a última. Porém, não poderia ter sido uma despedida melhor.

Desde o momento em que desembarcaram em Porto Alegre – um dia antes ao show – o grupo já deixou a cidade em polvorosa, fazendo passeios em pontos turísticos e até mesmo indo jantar aquele bom bife a parmegiana no Bar do Beto. E foi com esse clima de proximidade com seus fãs, que o Aerosmith tocou o espetáculo. Iniciando pontualmente as 22h, com "Back in the Saddle" e "Love In An Elevator", o estádio já sentia o que estava por vir.

A banda, com integrantes na casa dos 60 anos, continua a todo vapor, principalmente o frontman Steven Tyler, que apesar de uma vida de abusos e da idade, parece não ter sofrido nada. Segue sendo um dos vocalistas mais notáveis da história do rock.

Com um setlist impecável, a banda viaja entre baladas melodiosas e belas como "Cryin'" e "I Don't Want to Miss a Thing" e músicas pegadas e empolgantes como "Walk This Way" e "Train Kept a Rollin'", porém, temos que concordar que com uma carreira tão longa e recheada de canções incríveis, o Aerosmith teria condições de fazer 3 setlists matadores sem repetir músicas.

Durante a apresentação, além de algumas divertidas interações com o público, nos conquistaram mostrando no telão o guitarrista Joe Perry tocando ao lado do "Laçador", monumento famoso e adorado pelos gaúchos. E também com uma singela homenagem a campanha de prevenção ao câncer de mama (que é feita sempre em outubro), ao executarem o clássico "Pink".

Em resumo, a performance do grupo de aproximadamente 2 horas foi impecável e sem dúvida muita gente saiu do show com aquela vontade de "quero mais", torcendo para que mudem de ideia e sigam se apresentando por anos.

Sobre a organização do evento, confesso que estava com um pé atrás com o anfi-teatro Beira Rio (show foi no estádio do Internacional S.C., porém só em uma das pontas, não utilizaram o estádio inteiro), mas fiquei muito satisfeito, o espaço reduzido fez com que todos estivessem relativamente próximo ao palco e pudessem assistir sem nenhuma dificuldade. Banheiros, caixas e bares funcionado tranquilamente, sem filas e muito bem organizados, parabéns gigantesco a Hits Entretenimento.

Destaque para as filas de entrada no espetáculo. Poucas vezes vi filas tão ágeis. Nos poucos momentos onde uma fila grande foi formada, ela desaparecia rapidamente, acredito que ninguém tenha tido problema para entrar.

De toda essa experiência os únicos pontos negativos foram o mar de celulares (infelizmente atitude cada vez mais corriqueira) e a qualidade do áudio, que estava grosseiramente alto e estourado, gerando um chiado ao fundo. Guitarras um pouco baixas também, mas esses problemas técnicos melhoraram ao longo da noite.

Setlist completo:

1 – Back in the Saddle

2 – Love In An Elevator

3 – Cryin'

4 – Crazy

5 – Kings and Queens

6 – Livin' On The Edge

7 – Rats in the Cellar

8 – Dude (Looks Like A Lady)

9 – Same Old Song And Dance

10 – Monkey on my Back

11 – Pink

12 – Rag Doll

13 – Stop Messin' Around

14 – I Don't Want to Miss a Thing

15 – Come Together

16 – Walk This Way

17 – Train Kept a Rollin'

(bis)

18 – Dream On

19 – Sweet Emotion

Agradecimento especial a Carol Moura, que proporcionou a cobertura do show para o Crazy Metal Mind e nos recebeu muito bem.

Comente:

SIGA




PARCEIROS