NOFX

Data: 20/08/2014

Por Paolla Dias.

579333_10151733737046577_834347719_n

Agora formada e com tempo livre, volto para ‘falar’ de mais uma banda que marcou minha pré-adolescência (e me acompanha desde então): NOFX.

Surge em 1983 em Los Angeles, pulando os ‘vais e voltas’ de integrantes da banda, atualmente, ela é constituída por: Mike Burkett (ou o famoso Fat Mike, baixista e vocalista), Erik Sandin (baterista), Eric Melvin (guitarrista) e Aaron Abeyta (mais conhecido como El Hefe – guitarrista).

O nome é baseado no da banda de punk rock Negative FX, ou seja, NOFX seria algo como sem efeito (no effects). Para saberem a história completa, acessem: http://www.nofxofficialwebsite.com/history/history.shtml

Agora vamos falar de música! O som é uma mistura de Ska com Punk Rock/Hardcore. As letras abordam temas sérios, como politica, religião e problemas sociais, porém, com muito humor. Quem conhece a banda, sabe o quanto eles realmente representam o underground, mesmo sendo bastante conhecida, ainda gravam seus álbuns com selos independentes. Bem raro também encontrar entrevistas deles, ou participações em programas de televisão ou rádios.

 

A banda, nesses 31 anos de estrada, tem 12 álbuns de estúdio, 2 álbuns gravados ao vivo, 3 álbuns split e 4 compilações. Ganharam notoriedade em 1991 com o álbum Ribbed, mas seu recorde de vendas é o Punk in Drublic de 1994.

Momento TV FAMA: A MTV nessa época, começa pedir videoclipes, eram oferecidos contratos, mas a banda recusou as ofertas. Inclusive, nos agradecimentos de um de seus álbuns, está escrito: ‘Não agradecemos a MTV, pare de nos tocar’. Entre outras ‘gratidões’ do tipo para grandes gravadoras, rádios comerciais e empresários da área, que de alguma forma, tentaram (e tentam) subornar os princípios da banda.

Agora pessoalmente, o primeiro álbum que me recordo de ouvir e que até hoje está nos meus favoritos, é o de 1997: So long and thanks for all the shoes. Não é dos mais vendidos, mas foi o primeiro onde eles começaram a incluir elementos do Ska nas músicas. O nome do álbum faz referencia ao livro de Douglas Adams, da série O guia do mochileiro das Galáxias: So long, and thanks for all the fish (Até mais, e obrigado pelos peixes).

Os sapatos (shoes), mencionados no título do álbum, seriam os perdidos que os fãs “bombardeiam” no palco durante os shows.

 

O mais recente álbum, Self Entitled, foi lançado em 2012, como um retorno às raízes agressivas do início punk da banda. Os assuntos do álbum continuam os mesmos, problemas sociais, política e religião, porém, Fat Mike (que escreveu as letras) trás uma novidade: sadomasoquismo.

Momento TV FAMA 2: O integrante em questão divorciou-se de sua esposa para viver sua nova “escolha” intensamente, e seria esse um dos motivos para que o sexo também seja um dos temas.

Independente da escolha sexual, o álbum tem um humor mais ‘coeso’. A maioria das letras mostra uma visão bem pessoal de Fat Mike, trazendo uma sensação mais intimista, no geral.

 

Fica aqui então mais uma dica de banda, caso não conheçam. Espero um dia gravarmos um podcast sobre também!

Dúvidas, sugestões, críticas, pedidos de conteúdos a serem escritos serão aceitos!

Até a próxima!

Comente:

SIGA




PARCEIROS