Conhecendo Queens of the Stone Age

Data: 20/03/2013

vitrine

por Cassiano Becker

Pensar que tem Lollapalooza, daqui alguns dias, me lembrou de algumas coisas. A primeira é que não vou estar lá pra rever o Pearl Jam. A segunda, e mais importante, é que vou perder mais uma oportunidade de conferir o show de uma de minhas bandas favoritas, o Queens of the Stone Age.

Conheci o som dos caras por acaso. Era na época que o Rock in Rio tinha número, ainda – Rock in Rio 3. A expectativa para a nova edição do evento era enorme e tinha até matéria no Fantástico. Entre aquelas matérias super bacanas que a imprensa brasileira faz, usando termos como “Rock Pauleira”, tinha o caso do Nick Oliveri, baixista do QotSA, preso por tocar pelado no evento. Enquanto o amigo assistia TV comigo se impressionava com o saco do rapaz, eu me interessei mais pelo som com “influência de grunge e rock alternativo”, como citado na matéria. No vídeo, passava o clipe de “The Lost Art of Keeping a Secret”.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=0l0nzPpvbFs[/youtube]

 

Sem acesso à internet, os tempos passaram, mas  o reencontro veio. Banda lançando álbum novo e clipe passando na MTV. “No one knows” era o primeiro single do “Songs for the deaf”, até hoje tido por muitos como o melhor álbum da banda. Um dos atrativos tanto do clipe quanto do álbum é a presença de David Grohl – voltando ao instrumento que nunca deveria ter abandonado.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=s88r_q7oufE[/youtube]

 

No lançamento de “Lullabies to Paralyze”, em 2005, já era jã suficiente da banda para comprar o disco no lançamento. As faixas deste álbum talvez não sejam as memoráveis da banda – provavelmente, ligado ao momento delicado dos integrantes, que resultou no afastamento do baixista, Nick Oliveri. Ainda assim, este trabalho rendeu um acústico gravado em Berlim, que mesmo sem toda a pompa dos MTV Unplugged, vale a conferida.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=NfhLNSvErDM[/youtube]

 

O último trabalho de estúdio saiu há uma porrada de tempo. Era Vulgaris, de 2007, é um bom álbum, mas, assim como o seu predecessor, não chega ao patamar de “Songs for the Deaf”. De qualquer forma, o disco apresenta o som “pegado” de 3’s and 7’s.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=BgVfjXA_QY0[/youtube]

 

Desde então, se fala em um novo trabalho do QotSA, mas nada de concreto surgia até o ano passado, quando umapostagem na fan page da banda iniciava os boatos de um novo álbum. Dias depois, era confirmada a informação, com o acréscimo da presença de Dave Grohl, na bateria. Ainda não ouvi nada sobre músicas novas, mas a presença do ex-Nirvana, assim como no “Songs for the Deaf”, já cria uma boa expectativa. Ah, e o Nick Oliveri também volta, mas só pra fazer o vocal em uma das faixas – sem nudez, espero.

Quem sabe o pessoal que for no Lollapalooza não vai ter a oportunidade de conferir algo inédito?

Let’s play Alternative Rock!

 

Comente:

SIGA




PARCEIROS