Post feito por Daniel Iserhard.

Este post não reflete as opiniões do Crazy Metal Mind e é totalmente influenciado pelos sentimentos anti-lennon de Iserhard.

Finalmente aqui vai o tão aguardado post (por um ouvinte que me azucrinou durante meses).

O lado negro da força de John Lennon. Sim, o idolatrado, amado, endeusado, canonizado e sabe-mais-o-que-ado, tinha um lado bem ESCURO. Aliás, vários lados, quase um icosaedro.

Vocês aí que o tem como MODELO, repensem e curtam o mestre Paul, esse sim, um SÃR. Elencaremos as “benfeitorias” em ordem. Lá vai:

10- Curtia bater numa mina:

Sim, o cara que pregava paz e amor, curtia mesmo era pregar a mão na fuça de alguma loka. Isso desde os tempos em que morava em Liverpool (piscina de fígado). Mais tarde, durante sua vida maligna ele admitiria. Tanto a Cynthia quanto a Yoko levaram uns pipocos. Ele tinha lá seus ataques de pelanca eventuais e resolvia descontar em gente do tamanho dele (e aqui estou considerando a Yoko, gente).

9- Abusava emocionalmente do filho:

Aí está a grande vítima dos problemas emocionais do nosso amigo Lennon: seu filho mais velho, Julian. Quando a mãe de Julian engravidou, Lennon foi obrigado a casar com ela, coisa que ele não queria. O que aconteceu é que tanto a mãe quanto a criança relataram que John era um pai ausente, indiferente, drogado e que não curtia conviver com o filho. Resumindo, um belo FDP que culpou a criança por sua própria burrice. Quando em um momento de estupidez absoluta ele conheceu Yoko, largou de vez o filho e não quis mais saber da criança. Quando ele voltou a vê-lo (pra infelicidade do guri), Lennon gritava e tirava com a cara dele até faze-lo chorar. Certa vez, num ato benevolente e de muito amor disse: “eu odeio o jeito que você ri”. COISA BOA, NÉ?. Julian chegou a declarar que Paul foi muito mais pai pra ele do que o John.

8- Mentia pra cacete:

Viveu sua vida contando histórias que não eram BEM ASSIM. Quando precisava mentir para seu benefício, fazia sem PESTANEJAR. Daí essa imagem auto-construída de amor, paz e o cacete, que meio-mundo acreditou, menos o maluco que meteu uma azeitona nele e foi preso. Lennon dizia que era um suburbano fudido e na real cresceu com uma vida BEM confortável. Logo que EXPLODIU, negava estar casado. Ele mentiu também quando disse que conheceu Yoko num evento de arte. Na verdade ela perseguia ele há tempos, até que cedeu. Se ele saiu dos Beatles, foi porque passava o tempo todo socando heroína pra dentro e não porque tinha CANSADO da banda e do jeito POP de Paul.

7- Fodeu com a banda:

Sabe a historinha que o Paul largou a banda? BOSTA DE TOURO (bullshit, para os íntimos). Lennon é que cagou tudo, pelos motivos citados no item 8. Obviamente os Beatles não seguiriam sem John.

6- Política meu ovo:

Esse papo de que ele era um cara engajado e conhecia política é uma grande bobagem. Ele fez essa faminha posando em fotos com radicais que representavam a oposição. Ele nunca fez nada notável nessa área e a maioria dessas pessoas com quem ele posava, achava ele um belo de um ignorante. O que ele fazia era dar dinheiro e publicidade para os Panteras Negras, um grupo que usava de violência. (E a paz aquela, hein?)

5- Não tinha nenhum talento excepcional (POLÊMICA):

Tocava guitarra bem meia-boca, quem toca, sabe. Ele tem lá um punhado de composições legais do começo da carreira, mas conforme a coisa foi andando, as letras foram ficando pobres e/ou repetitivas. Leiam algumas letras como a  de “Come Together” e vejam uma hiponguice sem sentido. A maioria dos trabalhos tinha gente por trás metendo pressão, tipo os outros Beatles (Paul) e o George Martin. As músicas legais que John compunha no começo, mais tarde começaram a ser feitas pelo Paul e pelo George. Do Sgt. Peppers ele nem passou perto.


4- Um seguidor, não um líder:

No começo da carreira, seguia o ritmo que rolava na America e o blues, puxando muito pro estilo do Roy Orbison. Depois foi pro clima Bob Dylan. Caiu então pro lance psicodélico das bandas chapadonas da Califórnia. Mais além ainda, fazia o estilo John Cage avant-garde, arte moderna e o caralho. Não há nada de muito ORIGINAL no que ele tenha feito.

3- Conformista:

Fez lá sua reputação de revoltadinho, mas mesmo quando assim o era, se tornou porque na época era “moda” ser revoltado. Lennon sempre precisou se encaixar em grupos e estereótipos. Só perceber as diferentes fases dos Beatles e como a “moda” deles ia mudando junto. Depois que saiu da banda, continuou exatamente desse jeito. Lennon fez isso a vida toda com música, política e jeito de se vestir.

2- Desesperado por fama e dinheiro:

Sempre perseguiu isso, desde o início, ao contrário do que tentava demonstrar. Quando os Beatles não eram NADA ainda, ele já dizia pros colegas de banda que eles deveriam ainda ser o melhor do melhor do mundo. Tudo na imagem dos Beatles era calculado, como dito ACIMA. Aquela palhaçada toda que ele fazia com a Yoko e a imprensa, era pra aparecer o tempo todo, já que não tinha mais os Beatles pra fazer isso. Nunca se soube de nenhuma recusa para receber dinheiro, fosse para o que fosse.

1- Hipócrita:

Foi esse o argumento usado por seu assassino, o que não deixa de ser verdade e muito menos justifica a atitude do maluco. Lennon era o típico “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. E o pior é que muita gente que idolatra Lennon, é assim. EU SEI BEM DISSO. Leia a letra de IMAGINE e perceba que a vida de John Lennon nunca teve NADA do que está escrito lá. Um cara que nadava em dinheiro não escreveria “imagine se não houvesse posses”. Batia em mulher, ignorava o filho e escreveu “All You Need Is Love”. O cara que uma hora curtia astrologia, outra hinduísmo, mais outra i-Ching, escreveu “imagine se não houvesse religiões”. E esses são só algumas PINCELADAS dessa doce e sincera pessoa.
FIM

E tu aí querendo ser Lennon.

Tudo o que o povo idolatra no John era o que ele NÃO era, mas o que ele DIZIA (queria ser?).

PENSEM NISSO

 

Let’s play ROCK!

 

Fonte: listverse.com