ozzygremio

Hello crazy fuckin leitores!!! Hoje estou aqui pra contar-lhes como foi minha experiência no show do Mad Man, Ozzy Osbourne, em Porto Alegre – RS.

Bom, cheguei no ginásio do Gigantinho as 20h, encarei uma fila pequena, estava tranquilo para entrar no show. Porem consegui ter acesso a pista somente as 20:30, perdi a apresentação da Gunport, banda que abriu o show. O ginásio estava lotado, eu consegui contar umas 12.357 pessoas (com alguma pequena margem de erro).

Entre a banda de abertura e o inicio do show do Ozzy, o publico ouviu umas 3 musicas do AC/DC, o que era lindo, um publico enorme para assistir Ozzy Osbourne, cantando como um coral as musicas do AC/DC, isso só é possível ver no mundo do Rock’n Roll.

                             07

Pontualmente as 21h, a banda, acompanhada pelo príncipe das trevas, entra no palco e começa o espetáculo. A qualidade do áudio não estava das melhores, eu daria nota 7, mas não culpo a equipe do show, acho que o motivo foi a acústica do Gigantinho, não é um lugar apropriado para esse tipo de evento.

Enfim, a banda começa tocando Bark At The Moon, e logo no primeiro instante do show, a plateia atira uma bandeira do Grêmio para o Mad Man, ele junta-a e a veste como se fosse uma capa durante alguns segundos(o ginásio onde ocorreu o show, pertence ao Internacional, time rival do Grêmio, por isso toda a polemica gerada com o ato do rockeiro), isso se repete mais tarde com uma bandeira do Rio Grande do Sul também.

Confesso que fiquei emocionado durante o show. Ozzy Osbourne é um dos meus músicos favoritos, tanto no Sabbath quanto na carreira solo. O headbanger cabeludo de 1,90 que vos escreve, transformou-se em uma criança de 12 anos vendo seu ídolo a menos de 30 metros de distancia, ao ouvir a intro de Mr Crowley, não me segurei, correu uma lagrima de emoção. O show foi lindo, executaram vários clássicos da carreira solo, e uns 4 covers de Black Sabbath.

(Gus G. guitarrista)

                             09

A banda é espetacular, o guitarrista novo, Gus G. toca muito, e creio que esta substituindo a altura o mestre Zack Wyld. Baixista e tecladista excelentes também, mas o que mais me chamou a atenção foi o baterista Tommy Clufetos, o cara tem uma presença de palco incrível, não é apenas um batera lá no fundo, ele participa do show e agita a galera como poucos.

(Tommy Clufetos, Baterista)

                               clufetos

Sobre o Ozzy? O que dizer de um cara, que sobreviveu a varias overdoses, a um acidente de quadriciculo, e a um acidente entre um ônibus e um avião, que aos 62 anos continua fazendo shows maravilhosos, correndo, pulando e animando o publico, se não que ele é um dos artistas que merece mais respeito no mundo? E o que deixa os fãs mais encantados não é o fato dele fazer shows com essa idade, e sim dele se divertir durante o mesmo, é visível a alegria e satisfação do Ozzy durante o show, ele passa 80% do tempo com um sorriso no rosto, brincando com a plateia.

Na minha modesta opinião, enquanto Ozzy Osbourne conseguir fazer com que fãs sintam-se crianças e se emocionem em seus shows, ele deve continuar cantando. Poucas vezes me senti tão bem ouvindo musica quanto no dia 30/03/2011.

Let’s play HEAVY METAL!